Home Saúde Levantamento da Anvisa aponta que abacaxi e laranja são os alimentos de...

Levantamento da Anvisa aponta que abacaxi e laranja são os alimentos de maior risco por agrotóxico

1311

cultivo-de-laranja-e-abacaxiA Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fez um levantamento recente em 25 categorias de alimentos e apontou a laranja e o abacaxi como aqueles que tiveram maior número de amostras com resíduos de agrotóxicos e que representam riscos agudos à saúde, como intoxicações.

No abacaxi, foram analisadas 240 amostras e 12 (5%) delas entraram nessa categoria de risco, já a laranja foram analisadas 744 amostras e 90 apresentaram resíduos de agrotóxicos em nível que indica potencial risco agudo à saúde (o equivalente a 12% do total).




Levantamento positivo
Já somados todos os tipos de alimentos analisados, e que incluem cereais, frutas e hortaliças, a notícia é positiva: do total de 12.051 amostras coletadas nos supermercados do país entre 2013 e 2015, apenas 134 apresentaram resíduos com potencial risco à saúde, o equivalente a 1%. Ou seja, 99% seriam considerados livres de resíduos de agrotóxicos que representam risco a saúde.

Esta foi a primeira vez que a Anvisa analisou o potencial de risco imediato à saúde pela presença desses resíduos em alimentos. Segundo a agência, esse risco está relacionado às intoxicações que podem ocorrer em até 24 horas após o consumo.

A maioria das situações de risco para a laranja está relacionada ao agrotóxico carbofurano, hoje em processo de reavaliação pela agência. Na análise do abacaxi, a maior parte dos resíduos encontrados eram do agrotóxico carbendazim.

Ainda segundo a Anvisa, alguns estudos mostraram que as cascas da laranja e o do abacaxi têm baixa permeabilidade aos principais agrotóxicos, o que reduz a concentração de resíduos na polpa. A análise da agência, no entanto, foi feita considerando os alimentos inteiros e, em seguida, triturados.

Irregularidades
O monitoramento dos alimentos pela agência ocorre desde 2001. Para esta edição do estudo, a agência adotou uma nova metodologia e passou a incluir a avaliação de risco à saúde. Antes, eram observados apenas se os produtos tinham irregularidades como uso de agrotóxicos não autorizados para a cultura ou resíduos acima do limite máximo permitido.

Conteúdo: Folha de SP