Home Home-Fixo Unicamp lança programa de ‘Refúgio Acadêmico’ para estudantes de países em conflito

Unicamp lança programa de ‘Refúgio Acadêmico’ para estudantes de países em conflito

Unicamp lança programa de 'Refúgio Acadêmico' para estudantes de países em conflito

Unicamp lança programa de 'Refúgio Acadêmico' para estudantes de países em conflitoDois alunos afegãos dos cursos de graduação e pós-graduação da Unicamp Campinas, são os primeiros participantes de um novo projeto da instituição voltado para acadêmicos em situação de risco. O programa Refúgio Acadêmico, lançado no final de abril oferece acolhida humanitária a estudantes e pesquisadores afetados por conflitos ou perseguição em seus países de origem.


Além de ofertar financiamento a esses estrangeiros por meio de bolsas, o programa também os apoia em toda a sua trajetória de migração, da obtenção do visto e da locomoção para o Brasil até as aulas de português na chegada, hospedagem, alimentação, assistência médica e outras etapas da integração deles e de suas famílias.

A instituição Cátedra Sergio Vieira de Mello, existente em 28 instituições brasileiras e ligada ao alto comissariado das Nações Unidas para refugiados (Acnur), é voltada para pesquisa, extensão e ensino vinculados ao tema do refúgio. Um de seus programas é o ingresso especial nas universidades para refugiados, que no caso da Unicamp conta com 15 vagas disponíveis.

Ver mais notícias da região no Portal da RMC

O projeto atual, porém, exige uma série de requisitos, como a pessoa já estar no Brasil, com status de refugiado aprovado, dominar o português e ter interrompido um curso superior no país de origem.

O projeto começou a ser elaborado em 2021, após o Talibã tomar o poder no Afeganistão. Neste ano, a invasão na Ucrânia pela Rússia, já levou mais de 5 milhões de pessoas a fugir do país, e com isso a necessidade de um projeto do tipo.

São elegíveis não apenas pessoas oriundas de regiões de conflito, mas também as afetadas por desastres naturais, situações de insegurança alimentar, mudanças climáticas, regimes autoritários e constrangimento por razões étnicas, religiosas, políticas e de gênero.

O programa já vai começar a oferecer bolsas por meio de uma nova iniciativa da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) que destinará R$ 20 milhões, no total, para pesquisadores de países conflagrados como Síria, Ucrânia, Rússia e Afeganistão. O auxílio tem as modalidades de pós-doutorado ou pesquisadores visitantes, ou seja, é voltado para acadêmicos mais experientes.

As inscrições podem ser feitas (neste link) e vão até 30 de agosto. A Unicamp agora busca parcerias para que o Refúgio Acadêmico atenda também outros alunos de graduação, mestrado e doutorado. Atualmente, a universidade tem 480 alunos estrangeiros na graduação e 908 na pós-graduação, provenientes de 71 países. Destes, 15 são refugiados.