Home Home-Fixo Saiba quais as rodovias e locais com incidência de neblina na Região...

Saiba quais as rodovias e locais com incidência de neblina na Região de Campinas

2328

Concessionárias que administram rodovias na região de Campinas alertam para o aumento de ocorrências de neblina nesta época do ano. A maior incidência de neblina ocorre em áreas de mata ou de rios. Ao todo dão mais de 60 quilômetros de malha viária com visibilidade comprometida.

Em alguns trechos é possível existir até 15 quilômetros de rodovia coberta por neblina. Quem trafega no início da manhã, precisa tomar cuidados pra evitar acidentes em decorrência da pouca visibilidade.

Leia também:

Programação diária de provas das Olímpiadas de Tóquio

De acordo com as concessionárias da região, a situação é comum e com maior incidência entre os meses de junho a agosto.

Pontos com maior incidência de neblina em rodovias da região

Rodovia dos Bandeirantes (SP-348)
km 120 ao km 130 (Sumaré e Santa Bárbara d’Oeste)

Rodovia Anhanguera (SP-330)
km 100 ao km 103 (Campinas)
km 120 ao km 130 (Americana)

Rodovia Adalberto Panzan (SP-102)
km 0 ao km 07 (Campinas)

Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332)
km 130 ao km 140 (Paulínia e Cosmópolis)

Rodovia Santos Dumont (SP-075)
Km 48 ao km 51 (Indaiatuba)
Km 57 ao km 61 (Indaiatuba)
Km 64 ao km 66 (Campinas)
Km 72 ao km 74 (Campinas)

Rodovia Romildo Prado (SP-063)
km 00 ao km 15 (Louveira)

Já na concessionária Renovias, responsável pela Rod. Governador Adhemar Pereira de Barros (SP-340), “Campinas-Mogi”, informou que a ocorrência de neblina acontece em pontos aleatórios do trecho, não sendo possível determinar os locais de maior incidência.

Dicas aos motoristas em pontos de neblina
– Acenda os faróis baixos. Farol alto, independente do horário, dificulta a visibilidade pela grande dispersão de luz emitida sob neblina.

– Mantenha uma distância segura do veículo à frente.
– Reduza gradualmente a velocidade ao perceber os primeiros sinais de neblina.
– Nunca pare na pista.
– Não pare o veículo no acostamento.
– Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento.
– Deixe a janela aberta, ainda que parcialmente, para ouvir eventuais sinais sonoros.
– Evite uso de aparelhos que possam dispersar a atenção, como celular.
– Use a pintura de faixa da pista como referência do caminho a seguir.
v Fique atento a sinais sonoros externos que possam indicar uma situação atípica à frente como buzinas, sirenes e som de colisão.
– Mantenha o vidro aberto ou ligue a ventilação dentro do carro para não embaçar os vidros.
– Caso julgue não ter condições de visibilidade para seguir viagem, pare somente em locais seguros como postos de combustíveis.