Home + Notícias Campinas tem novas regras da Fase de Transição; veja os horários de...

Campinas tem novas regras da Fase de Transição; veja os horários de funcionamento

506
Prefeitura publica decreto que prorroga Fase de Transição com mudanças em Campinas

Os estabelecimentos de serviços de Campinas poderão funcionar entre 6h e 21h. As novas regras da Fase de Transição valem até 23 de maio. A capacidade para atendimento presencial foi ampliada para 30%. O toque de recolher continuará sendo realizado das 21h às 5h.

As mudanças seguem as alterações do Plano São Paulo, anunciadas pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria, na sexta-feira, 7 de maio.

*Os estabelecimentos estão autorizados a atender presencialmente, porém, a orientação é que eles continuem priorizando os serviços de entrega e retirada, que dão mais segurança para os colaboradores e aos clientes.

Os parques municipais manterão o horário de funcionamento das 6h às 18h.

*As lanchonetes, padarias, restaurantes e congêneres (exceto bares), localizados nos postos de combustíveis e derivados, podem atender presencialmente com 30% de capacidade, entre 6h e 21h.

* As atividades religiosas e culturais em cinemas, teatros e salas de espetáculos são permitidas também entre 6h e 21h, com público sentado, mantendo distanciamento de 1,5m.

* Os bares continuam proibidos de realizar atendimento presencial. Devem manter apenas delivery e drive-thru.

  • O toque de recolher continuará sendo realizado das 21h às 5h.

Serviços municipais

Na Administração Municipal, direta e indireta, deve priorizar o teletrabalho. O trabalho presencial e o atendimento ao público deve ser limitado a uma capacidade de 30%.

“O fluxo dos processos administrativos físicos volta, a partir de agora, a ser tramitado normalmente, com a retomada dos prazos. Antes, apenas os processos eletrônicos estavam tendo trâmite regular”, explicou o secretário de Justiça, Peter Panutto.


O que pode funcionar das 6h às 21h, com capacidade de 30%:

– comércios (galerias, shoppings e congêneres)

– restaurantes e similares

– atividades religiosas

– salões de beleza, clínicas de estética e barbearias

– eventos culturais e sociais; clubes sociais

– academias e centros de ginástica

– cursos não-regulamentados

– áreas comuns de condomínios e hotéis.