Home + Notícias da Página Principal Após série de alternâncias de prefeitos, Paulínia tem novas eleições marcadas

Após série de alternâncias de prefeitos, Paulínia tem novas eleições marcadas

709
dia da nova eleição em Paulínia, Após série de alternâncias de prefeitos, Paulínia tem novas eleições marcadas
Fachada da prefeitura de Paulínia

Após 12 mudanças no comando da cidade, Paulínia terá uma nova eleição para escolha de seu prefeito. O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) definiu nesta semana, que no dia 1º de setembro haverá eleição suplementar no município após idas e vindas na administração municipal devido a investigações e mandatos cassados.


Atualmente o presidente da Câmara Municipal, vereador Antônio Ferrari (DC), conhecido como Loira, é quem a ocupa o posto de prefeito. Há dois meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, por unanimidade, o recurso de Dixon Carvalho (PP) e Sandro Caprino (PRB), então prefeito e vice-prefeito da cidade que tiveram os mandatos cassados após reprovação das contas das campanhas pelo (TRE-SP).

Partidos políticos iniciaram em maio uma série de reuniões internas para definir nomes, alianças e estratégias. Desde que o TRE confirmou, no ano passado, a cassação dos dois políticos, os diretórios municipais já vinham trabalhando a sucessão do atual prefeito.

A lista de pré-candidatos vai do atual prefeito Antonio Miguel Ferrari (Loira), passa por vereadores, ex-candidatos a prefeito e inclui até o prefeito e vice cassados. Segundo o TRE, a resolução com as regras, inclusive sobre quem pode participar do pleito, deve ser publicada nos próximos dias no Diário Oficial. “A princípio, não pode participar quem deu causa à nulidade da eleição”, informou o órgão.

No caso do ex-prefeito Dixon Carvalho e seu vice Sandro Caprino que foram cassados, estão até o momento inelegíveis por oito anos, em decisão de primeira instância, mas recorreram e conseguiram reverter a inelegibilidade. Eles podem se lançar candidatos nas eleições suplementares, e a inelegibilidade será confirmada, ou não, no momento do registro das candidaturas.

O vencedor, no entanto, vai governar a cidade por um curto período, já que em 2020 haverá a eleição ordinária, e o vencedor toma posse em janeiro de 2021.

Como será a eleição suplementar
– A votação é prevista pelo Código Eleitoral para casos específicos, como a cassação do mandato.
– As candidaturas podem ser registradas até 2 de agosto.
– Dixon Carvalho e Sandro Caprino ainda não podem se candidatar.
– A propaganda eleitoral está liberada a partir de 3 de agosto.
– Prefeito e vice-prefeito eleitos serão diplomados até 4 de outubro.