Home Destaques Em queda: Gasolina em Campinas atinge o menor preço desde a greve...

Em queda: Gasolina em Campinas atinge o menor preço desde a greve em maio de 2018

416
preço combustíveis em Campinas, Em queda: Gasolina em Campinas atinge o menor preço desde a greve em maio de 2018
Combustível baixa dos R$ 4 nos postos e cenário é o melhor desde a paralisação dos caminhoneiros

O preço da gasolina nos postos de Campinas é o menor desde a greve dos caminhoneiros que parou o país em maio de 2018 e afetou a distribuição de combustível e produtos em todo o Brasil.



Segundo o levantamento semanal realizado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), o preço médio da gasolina nos postos do município atualmente é de R$ 4,086. O levantamento aponta que o menor preço registrado no período de 30 de dezembro a 5 de janeiro foi de R$ 3,958, e o maior, R$ 4,199. Alguns postos da cidade ainda vendiam gasolina a R$ 3,89.

Os preços do etanol também estão em queda. Hoje, o litro é vendido, em média, a R$ 2,612 e em alguns postos é possível encontrar por até R$ 2,489. A queda do preço dos combustíveis tem duas explicações, segundo a Recap (Sindicato dos Trabalhadores Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas), que representa 1,5 mil postos em 90 cidades da RMC, “a diminuição do preço na bomba se deve a fatores externos, como a queda do dólar, e internos, como a redução do valor da gasolina nas refinarias, além da melhor governabilidade da Petrobras”.

Reforma tributária
Ainda segundo a Recap, não é possível garantir que o preço vá continuar caindo, nem se vai estabilizar no atual patamar, pois se trata de um mercado muito sensível devidos as condições “outras” nacionais e internacionais. O país vive o melhor cenário desde a greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado, quando a gasolina chegou a R$ 4,70 para o consumidor.



O ainda depende muito de uma reforma tributária, pois a gasolina influencia na alta e queda de preço de outros produtos: “Se a taxa de cambio cair ainda mais, vai ser muito bom para o mercado, pois o combustível é um indexador inflacionário. A queda deve influenciar outras baixas de preço.