Home Notícias da Região Barão Geraldo celebra festa do Boi Falô nesta Sexta-feira Santa; veja a...

Barão Geraldo celebra festa do Boi Falô nesta Sexta-feira Santa; veja a programação

1993

img-voltar

festa-boi-falo-Barao-Geraldo
Touro ornamentado conta a história do “Boi Falô” no distrito de Barão Geraldo

O distrito de Barão Geraldo, em Campinas celebra a tradicional festa do Boi Falô nesta sexta-feira (14-abr) com uma série de atividades. A programação começa às 10:00h, na Escola Barão Geraldo de Rezende. A comemoração, que é realizada há 22 anos, é organizada por moradores, empresários e comerciantes do distrito, a expectativa dos organizadores é de reunir 2 mil visitantes neste ano.




Além das homenagens ao boi, o ponto alto da festa é a distribuição gratuita da tradicional macarronada com molho de tomate. Neste ano, serão utilizados 500 quilos de macarrão. O alimento é abençoado por um padre, no local, antes de ser servido. Na programação musical, o público poderá conferir o grupo de Violas Campinas e o grupo de Teatro Savuru.

A lenda
A lenda do Boi Falô nasceu em 1888, na fazenda Santa Genebra, de propriedade do Barão Geraldo de Rezende. Um dos escravos que trabalhava nas plantações de cana de açúcar e café foi obrigado pelo capataz a ir ao pasto e atrelar um boi para arar a terra, em uma Sexta-feira Santa. O escravo, chamado Toninho, foi então colocar a canga no animal, que estava deitado sob a sombra de uma árvore. Por mais que o escravo insistisse, o boi não saia do lugar. Neste momento o animal olhou para o escravo, deu um mugido alto e disse: “hoje é dia santo, é dia do Senhor, não é dia de trabalho”. O escravo saiu correndo para sede da fazenda, gritando: “o boi falô, o boi falô!” e a partir da surgiu a lenda.

escarvo-toninho-Festa-Boi-Falo-Barao-Geraldo
Escravo Toninho foi enterrado ao lado do Barão Geraldo

Segundo a lenda, o capataz ainda teria tentado castigar Toninho pela insubordinação, mas ele correu para a Casa Grande à procura do Barão Rezende que, ao ouvir seu relato, teria lhe dado razão e ordenado que ninguém trabalhasse naquele dia. O escravo passou a trabalhar dentro da casa por muitos anos, até sua morte, e, em consideração aos seus bons serviços, acabou sendo enterrado junto ao túmulo do Barão, no Cemitério da Saudade, em Campinas.

A lenda faz parte do folclore do Distrito de Barão Geraldo. O túmulo do escravo Toninho é um dos mais visitados no dia de Finados, principalmente por aquelas pessoas que querem alcançar uma graça.

Serviço
Festa do Boi Falô
Local: Escola Barão Geraldo de Rezende – Rua Jerônimo Pátaro, s/nº – Centro de Barão Geraldo
Data: sexta-feira, 14, a partir das 10:00h
Entrada gratuita