Home Esportes Final da Superliga Feminina de Vôlei é marcada por garra e emoção...

Final da Superliga Feminina de Vôlei é marcada por garra e emoção no maior clássico do vôlei brasileiro: Rio (Rexona-Sesc) x Osasco (Nestlé)

1335

 

liga-de-volei-feminino-2017
Equipe do Rio comemora – Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/GAZETA PRESS



No duelo deste domingo (23 de abril) entre o Rexona-Sesc Rio e Vôlei Nestlé Osasco; o maior clássico do vôlei brasileiro, as duas equipes mostraram garra, profissionalismo e emoção. A decisão da Superliga Feminina de Vôlei 2017 aconteceu na Arena da Barra, Rio de Janeiro e após um grande jogo, muito disputado, o time do técnico Bernadinho — o Rexona-Sesc Rio venceu a partida por 3 sets a 2, com parciais de 25/19, 25/22, 25/22, 25/18 e 15/6 (tie break).

Com essa vitória, a equipe do Rio de Janeiro levou o 5º título consecutivo da Superliga e seu 12º título na competição. Dona de cinco conquistas, a equipe de Osasco do treinador Luizomar de Moura até tentou voltar a erguer o troféu – foi campeã pela última vez na temporada 2011/2012 – mas perdeu força no tie-break.

A partida




O duelo foi bastante equilibrado. O time do Rio acabou prevalecendo no 1º set após o seu bloqueio fazer a diferença nos momentos de definição da parcial. Mas a equipe de Osasco virou no 2º set, que acabou ficando marcada pelas reclamações das jogadoras pelos erros da arbitragem. No 3º set, apesar de todo o equilíbrio, a equipe do Rio quase sempre esteve à frente do placar. A partir daí, a emoção tomou conta do ginásio na decisão da Superliga que estava lotado com quase 13 mil pessoas.

O time de Osasco conteve a tentativa de reação das adversárias e venceu com facilidade o 4º set, forçando o tie-break. No começo do set decisivo, quebrando o passe rival, o time do Rio abriu vantagem logo no início. Juciley foi fundamental na parcial sem dar chances de defesa para o time de Osasco.Então, a equipe do Rio foi firme, abriu boa vantagem e garantiu a vitória. Essa é a décima vez que Bernardinho conquista o título no comando do time do Rio de Janeiro, ele ainda tem mais 2 na época que a equipe era de Curitiba.

Unilever
Ao final da partida Bernadinho emocionado com a vitória também agradeceu a Unilever, foram 12 títulos de Superliga feminina em 20 anos do projeto iniciado em Curitiba. A Unilever deixa uma herança riquíssima para o Sesc, atual copatrocinador. E também um exemplo de sucesso, para todo o esporte nacional.

 

VÔLEI  MASCULINO




O Sada Cruzeiro (MG) venceu o Vôlei Brasil Kirin Campinas (SP) e chega à sétima final seguida na Superliga Masculina de Vôlei 2016/2017. A equipe mineira venceu o rival paulista por 3 sets a 0, com parciais de 25/12, 25/18 e 26/24. O Cruzeiro vai buscar o quinto título do torneio – o quarto seguido (foi campeão em 2011/2012, 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016). Com o Ginásio do Riacho, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, lotado, a raposa não deu chances ao Campinas e fechou a partida com parciais de 25/12, 25/18 e 26/24.

O outro finalista da Superliga Masculina de Vôlei ainda não foi definido. O Sesi-SP venceu o Funvic Taubaté no dia 21 de abril em partida disputada no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP) e leva a série para o quarto jogo que acontece no dia 27 de abril (quinta-feira) às 19:30 no Ginásio Lauro Gomes em São Caetano (SP).